«

»

dez 28

Mensagem de exortação: Não se distraia!

Não se distraia!
A história de Salomão é um dos maiores exemplos de como podemos nos desviar do caminho de Deus por causa das distrações. Ele teve um ótimo início com Deus, porém teve um final desastroso.
O que fez Salomão trazer sobre ele mesmo a sentença de Deus? A distração nos impede de ouvir a Deus, traz dificuldade e causa, a longo prazo, destruição. Segundo a Bíblia, Salomão começou errando ao se casar com mulheres idólatras, desobedeceu a Deus e se tornou fantoche dos seus sentimentos. O mesmo erro de Salomão é hoje um dos maiores motivos de distrações.
Por exemplo, quando não encontramos na Igreja a nossa cara metade procuramos no mundo e, ao encontrarmos, a pessoa não quer servir a Deus. Ainda assim, nos unimos a ela, com suas culturas e sonhos diferentes, sendo influenciados um pelo outro. Aos poucos as distrações do mundo esfriam nosso coração, pois desobedecemos ao principio bíblico de não nos envolvermos com estrangeiros, pessoas que não servem a Deus. Se tais relacionamentos existem, precisam ser entregues a Deus para que haja libertação dos laços que nos envolvem.
Salomão tornou-se expert em obedecer, parcialmente, aos mandamentos de Deus (I Reis 11: 5 – 6).
Em algumas coisas, ele seguia a Deus e em outras não. Nós não chegaremos ao céu sem obedecer 100% a Deus. Afinal, não pode haver equilíbrio entre Deus e o diabo. Não se pode imaginar que uma parte da Bíblia nos convém e outra não. Por exemplo, a Bíblia fala sobre prosperar e tomamos posse desse versículo. Porém, aquele trecho bíblico que fala de santidade, achamos que é muito radical e, assim, procuramos achar um “jeitinho” de segui-lo, mas não 100% como manda as Escrituras.
Salomão não parou por aí, utilizou-se dos dons que recebeu de Deus. E eram muitos dons, pois a Bíblia diz que jamais houve homem tão sábio como ele. Salomão os usou para adorar a Deus, mas também a outros deuses (I Reis 11: 7 -8). Quando nos associamos com pessoas que não deveríamos, esses dons são utilizados de forma errada.
A Palavra de Deus também mostra que Salomão, ainda que sem unção – pois seu coração se desviara dos caminhos de Deus – prosperava e usufruía benefícios das benções que estavam sobre Davi, seu pai, homem segundo o coração de Deus (I Reis 11:11 – 13). Deus ainda prospera aquele que se desvia, por um tempo.
Mas, tal benefício é limitado, pois Deus também quer nos dar a chance de retornarmos para seus caminhos.
As distrações são perigosas e podem ser de outras formas, como com o consumismo – nossa alegria não está mais em Deus e, sim, nas compras daquilo que não necessitamos; barulho da mídia – não procuramos nosso tempo com Deus, antes gastamos horas na televisão ou computador e com a indiferença com a obra – fazemos por obrigação e temos divergências com a liderança, deixando de lado a lealdade com o ministério.
Já as pessoas que não se distraem tem desejo constante de ser como Jesus; paixão pelas almas que se perdem e constância na presença de Deus. Nosso maior exemplo a seguir é Jesus, nada o impediu de chegar ao seu alvo (Lucas 9:51). Ele morreu por nós naquela cruz. Assim, quando não nos distraímos da presença de Deus e permanecemos firmes em seus caminhos, teremos uma história vitoriosa com Jesus.
Não se distraia. Fique firme no Senhor, freqüente a célula mais próxima da sua casa, busque ajuda e ore constantemente.
Ap. Rina

distraidoA história de Salomão é um dos maiores exemplos de como podemos nos desviar do caminho de Deus por causa das distrações. Ele teve um ótimo início com Deus, porém teve um final desastroso.

O que fez Salomão trazer sobre ele mesmo a sentença de Deus? A distração nos impede de ouvir a Deus, traz dificuldade e causa, a longo prazo, destruição. Segundo a Bíblia, Salomão começou errando ao se casar com mulheres idólatras, desobedeceu a Deus e se tornou fantoche dos seus sentimentos. O mesmo erro de Salomão é hoje um dos maiores motivos de distrações.

Por exemplo, quando não encontramos na Igreja a nossa cara metade procuramos no mundo e, ao encontrarmos, a pessoa não quer servir a Deus. Ainda assim, nos unimos a ela, com suas culturas e sonhos diferentes, sendo influenciados um pelo outro. Aos poucos as distrações do mundo esfriam nosso coração, pois desobedecemos ao principio bíblico de não nos envolvermos com estrangeiros, pessoas que não servem a Deus. Se tais relacionamentos existem, precisam ser entregues a Deus para que haja libertação dos laços que nos envolvem.

Salomão tornou-se expert em obedecer, parcialmente, aos mandamentos de Deus (I Reis 11: 5 – 6).

Em algumas coisas, ele seguia a Deus e em outras não. Nós não chegaremos ao céu sem obedecer 100% a Deus. Afinal, não pode haver equilíbrio entre Deus e o diabo. Não se pode imaginar que uma parte da Bíblia nos convém e outra não. Por exemplo, a Bíblia fala sobre prosperar e tomamos posse desse versículo. Porém, aquele trecho bíblico que fala de santidade, achamos que é muito radical e, assim, procuramos achar um “jeitinho” de segui-lo, mas não 100% como manda as Escrituras.

Salomão não parou por aí, utilizou-se dos dons que recebeu de Deus. E eram muitos dons, pois a Bíblia diz que jamais houve homem tão sábio como ele. Salomão os usou para adorar a Deus, mas também a outros deuses (I Reis 11: 7 -8). Quando nos associamos com pessoas que não deveríamos, esses dons são utilizados de forma errada.

A Palavra de Deus também mostra que Salomão, ainda que sem unção – pois seu coração se desviara dos caminhos de Deus – prosperava e usufruía benefícios das benções que estavam sobre Davi, seu pai, homem segundo o coração de Deus (I Reis 11:11 – 13). Deus ainda prospera aquele que se desvia, por um tempo.

Mas, tal benefício é limitado, pois Deus também quer nos dar a chance de retornarmos para seus caminhos.

As distrações são perigosas e podem ser de outras formas, como com o consumismo – nossa alegria não está mais em Deus e, sim, nas compras daquilo que não necessitamos; barulho da mídia – não procuramos nosso tempo com Deus, antes gastamos horas na televisão ou computador e com a indiferença com a obra – fazemos por obrigação e temos divergências com a liderança, deixando de lado a lealdade com o ministério.

Já as pessoas que não se distraem tem desejo constante de ser como Jesus; paixão pelas almas que se perdem e constância na presença de Deus. Nosso maior exemplo a seguir é Jesus, nada o impediu de chegar ao seu alvo (Lucas 9:51). Ele morreu por nós naquela cruz. Assim, quando não nos distraímos da presença de Deus e permanecemos firmes em seus caminhos, teremos uma história vitoriosa com Jesus.

Não se distraia. Fique firme no Senhor, freqüente a célula mais próxima da sua casa, busque ajuda e ore constantemente.

Por:Ap. Rina

Bola de Neve Church

2 comentários

  1. marly

    Poxa tenho o costume de ler as meditações,e gosto muito… mas essa foi direto comigo,a frustração com o homem que se diz crente… dai disse que os homens de fora da igreja tem mas carater, dai se aparecer um nao vou ficar de bobeira.É mas esse artigo falou comigo eu agora peço a Deus um homem abençoado por ele e sei que no momento certo acontecera.
    Foi muito bom amei.
    Obrigado um feliz ano novo a todos e bjs no coração.

  2. benjamim

    parabéns rina ,ao ler essa mensagem percebi que estava como o rei salomão ,cheio de sabedoria mas longe da promessa de deus,eu estava realmente muito distraído mas agora tomei posse da vitoria em cristo,e já estou retornando a casa de deus para fazer como o rei Davi,mim tornar o segundo coração de deus.muito grato,e que o eterno deus possa ta te usando muito através da internet para levar combustível espiritual aos nossos queridos irmãos.um abraço.

Comentários foram desabilitados.